Ir para o conteúdo
Início
/
Notícias
23-11-2022

Serviço de Imunohemoterapia assinala Dia Nacional da Anemia com rastreio gratuito

O Serviço de Imunohemoterapia do Hospital Pedro Hispano/ULSM vai realizar na próxima quinta-feira, dia 24 de novembro, um rastreio gratuito de anemia e ferropenia, associando-se ao Dia Nacional da Anemia (que se assinala a 26).
Esta iniciativa, que se realiza pela primeira vez no Hospital Pedro Hispano, dirige-se aos utentes mas também ao público em geral, incentivando ao rastreio da anemia e ferropenia.
“O rastreio é importante para uma deteção precoce, permitindo o diagnóstico adequado e um tratamento mais rápido e eficaz”, sublinha Federico Sabio, diretor do Serviço de Imunohemoterapia, lembrando que a anemia constitui um “problema de saúde pública que afeta 25% da população mundial”, apesar de ainda não ser devidamente conhecido.
A anemia caracteriza-se por uma diminuição dos níveis de hemoglobina no sangue e/ou do número/tamanho dos glóbulos vermelhos, com consequente diminuição do transporte de oxigénio aos tecidos. “As manifestações clínicas da anemia são muito variáveis e dependem da causa, da gravidade, da velocidade de instalação, das eventuais comorbilidades e dos mecanismos compensatórios que cada individuo é capaz de mobilizar”, explica o especialista, apontando o cansaço, a falta de ar e palpitações, como as queixas mais frequentes, que podem incluir também tonturas, zumbidos, cefaleias.
A anemia pode resultar de défices nutricionais (como a falta de ferro, vitamina B12 e ácido fólico), alterações genéticas (talassemia), perdas hemáticas ou de outras condições, como doenças infeciosas/inflamatórias, neoplasias, doenças crónicas e/ou autoimunes, não sendo por essa razão considerada um sintoma, mas sim uma manifestação de doença ou de uma comorbilidade associada à mesma.
“E importante lembrar que a anemia pode ocorrer em qualquer fase da vida, embora seja mais comum em períodos de metabolismo elevado ou em caso de perdas hemáticas (menstruação, por exemplo). Por essa razão é mais prevalente na mulher, especialmente durante a gravidez, sendo também frequente nas crianças”, salienta.


Partilhar:
justo libero nunc Curabitur commodo Praesent felis ipsum facilisis felis vel,